26 de Novembro de 2007
Li atentamente as duas Candidaturas para a Secção Regional Norte. A actual Presidente do Conselho Directivo da Zona Norte, a Enfermeira Margarida Filipe apresentou a sua recandidatura e encabeça a lista D. O Enfermeiro Germano Couto lidera uma lista (Lista A) que se candidata à Secção Regional Norte, uma lista que se demarca do panorama nacional e que apenas visa a zona norte.

Estive para dividir o post nos vários aspectos para não se tornar extensivo. Mas avaliarei a possibilidade de dividir nas posteriores avaliações das várias candidaturas. Como pensamento individual não direi qual das duas candidaturas gostei mais, por uma questão de isenção deste post.

Passamos então a análise dos dois programas de candidatura.


Motivação para a Candidatura:
A Enfermeira Margarida apresenta como motivação para a sua candidatura a experiência obtida no mandato anterior baseada na construção e consolidação da Ordem dos Enfermeiros. Assim, como a necessidade de garantir Melhor Enfermagem, Melhor Saúde. Assentam ainda a necessidade de uma envolvencia nacional em torno do Modelo de Desenvolvimento Profissional.

O Enfermeiro Germano aponta a necessidade da Secção Regional Norte da Ordem dos Enfermeiros ter uma maior afirmação institucional, política e social. Aponta ainda a falta de motivação para a participação, visibilidade, informação e debate dos enfermeiros e justifica isso na ausência de força na Ordem dos Enfermeiros, principalmente em políticas de saúde local e regional. Esta lista quer Trazer a Essência da Profissão à Ordem.



Objectivos de Candidatura
A Lista A tem como objectivos principais a regulação do exercício profissional, o controlo da qualidade dos cuidados de enfermagem, o controlo da qualidade na formação profissional, acompanhamento do desenvolvimento e autonomia da profissão, Mandato Social e as relações institucionais nacionais e internacionais.

A Lista D apresenta como objectivos o fortalecer a intervenção qualificada da SRN, nas várias componentes da política de saúde e dos sistemas de saúde regionais e nacionais, a intervenção qualificada nas políticas de formação a nível regional, reforçar a visibilidade externa e melhor a qualidade organizacional da SRN. Pretende dar continuidade e apostar na inovação.


Políticas de Formação
No que concerne a política de formação, a lista D propõe um acompanhamento dos princípios da Declaração de Bolonha, uma reflexão conjunta sobre a qualidade de ensino perante as actuais exigências no âmbito da saúde e do trabalho. Pretende ainda reforçar a relação com as Instituições de Ensino de Enfermagem da região, colaborar com o Centro de Estudos e Investigação (CEI). Defende ainda, a promoção da reflexão, junto das instituições de formação do Ensino Superior, com vista a decisão da integração da Enfermagem no Sub-sistema Universitário.

Por seu lado, a lista A apresenta-se disposta a garantir uma formação de nível Universitário, intervindo nas decisões políticas sobre o ensino de Enfermagem, fomentando o ensino e a prática de investigação em Enfermagem, com incentivos pessoais e profissionais, estimulando a formação com base nas competências definidas e fomentar a aproximação entre os planos curriculares e a realidade dos cuidados de Enfermagem, visando a agregação do ensino de Enfermagem à Universidade.


Exercício Profissional
A lista A, neste ponto, aponta no seu plano de acção que este deve assentar na valorização do contexto humano e profissional e na qualificação profissional. Deste modo, pretendem promover a: formação em serviço visando o desenvolvimento de competências específicas; identificação de competências do enfermeiro especialista, a capacitação dos enfermeiros para uma gestão eficiente para a gestão de serviços de enfermagem. Pretende também habilitar o enfermeiro para o empreendedorismo, estimular os serviços a definirem padrões específicos de qualidade de desempenho isentos de visão economicista e empresarial. Recompensar o mérito e brio profissional com incentivos para a continua formação e desenvolvimento de competências dos enfermeiros.
Pretendem assim promover a vida associativa do enfermeiro com iniciativas científicas, formativas e sociais, estimular a formação que tenha impacto profissional, criar a figura do interlocutor local para aproximar o enfermeiro à sua Secção regional, construir uma identidade profissional reconhecida e valorizada, promovendo a união e entendimento entre os membros e por último criando um departamento de acreditação de Formação Contínua com o objectivo de reconhecimento e valorização técnico-científica.
Por último pretendem acompanharam o desenvolvimento do exercício profissional dentro dos padrões de qualidade, propor metodologias de aferição da qualidade dos cuidados, estimular a autonomia da profissão pela qualidade dos cuidados, incentivar a competitividade profissional garantindo a manutenção dos princípios éticos e deontológicos, divulgar a implementação dos sistemas de informação em Enfermagem. Recomendar e exigir a dotação adequada de enfermeiros ao nível regional tendo em conta as necessidade locais.

A
Lista D por seu lado, propõe-se: a participar na implementação do modelo de desenvolvimento profissional, nomeadamente na definição de recursos e processos de suporte necessários ao planeamento, implementação, monitorização e avaliação; promover a melhoria contínua da qualidade dos cuidados de Enfermagem incentivando a investigação com a divulgação do Prémio Maria Aurora Bessa; desenvolvendo recursos relacionados com investigação, conhecimento e informação; criar o Centro de Estudos e Investigação; auxiliar a implementação dos Sistemas de Informação em Enfermagem; proporcionar formação nas áreas relevantes para o exercício através da divulgação de experiências, conhecimentos em vários eventos; promoção das visitas institucionais para acompanhamento do exercício profissional; elaboração de orientações para a prática de cuidados, para aprofundar e adaptar o REPE e Código Deontológico.
Pretendem ainda criar grupos de trabalho com vista à definição de domínios de competências específicas, avaliar a qualidade dos cuidados de enfermagem através do uso de Indicadores do Resumo Mínimo de Dados de Enfermagem, divulgar os resultados da avaliação da qualidade CE no que respeita à área de intervenção da SRNorte. Por último pretendem intervir junto das instituições de prestação de cuidados, no sentido de, garantir dotações seguras em cuidados de enfermagem.


Políticas de Saúde
A Lista D propõe a participar em programas nacionais e regionais decorrentes do PNS através do desenvolvimento de actividades, do incentivo e apoio à participação em projectos, da avaliação do PNS, participação pró-activa no redesenho das respostas às necessidades de saúde. Colaborar na criação do Gabinete de Análise e Planeamento para obter relatórios de análise. Monitorizar e auxiliar a Rede Nacional de Cuidados Continuados.

A
Lista A em relação a este aspecto não apresenta qualquer planeamento no seu plano de acção nem noutros aspectos similares. Assim sendo, contactei por email a lista para que pudessem explicar as suas ideias em relação a este aspecto. A própria candidatura contactou-me e explicou que pretende esperar pelo momento oportuno para tomar as rédeas e avaliar os estragos feitos para, depois, então, definir medidas sociopolitícas exequíveis, concretas e validadas para a realidade da Enfermagem portuguesa.


Mandato Social da Profissão
Neste último aspecto avaliado a lista do Enf. Germano quer cumprir o mandato social da profissão. Através da representação digna da Ordem e da SRN, sugestão da criação de uma Tabela de Preços de Cuidados de Enfermagem, evitando a exploração salarial e humana, criação de um departamento de produção e divulgação de material de informação e educação para a Saúde, intervenção com as forças vivas da sociedade promovendo a divulgação da promoção para a saúde e aproximando a SRN das populações, tornando a Ordem mais intervencionista ao nível dos órgãos de soberania regionais. Quer ainda, propor a existência de um Fundo Social, com base na quota mensal, para criar um "Espaço do Enfermeiro" nas instalações da SRN aproximando-as dos enfermeiros e submeter-se a avaliação contínua de desempenho do seu trabalho através da realização de inquéritos. Por último, quer criar um Bolsa de Emprego facilitadora da inserção profissional no mundo laboral na SRN.

A Lista da Enf. Margarida pretende contribuir para a visibilidade externa e consolidação no tecido social através da facilitação de acesso à informação do conhecimento relacionado com a enfermagem aos cidadãos. Intervindo na comunidade através da discussão dos cuidados de enfermagem. Acompanhando os processos legislativos e salvaguardando os direitos dos cidadãos no que diz respeito a cuidados de enfermagem de qualidade. Pretende também promover a qualidade organizacional da OE através da desenvolvimento de sistemas de informação e comunicação de apoio aos membros, promover a discussão na internet, criar um suporte de aconselhamento jurídico aos membros, dinamizar actividade de natureza lúdico-cultural, disponibilizar instalações aos membros, para a realização de eventos científicos/culturais de enfermagem e por último pretende criar estruturas de apoio e informação ao empreendodedorismo em Enfermagem.

publicado por Luís Caldas às 21:17

mais sobre mim
pesquisar
 
Novembro 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

14

20
21
22

27
28
29
30


arquivos
2017:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2016:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2015:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2014:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2013:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2012:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2011:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2010:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2009:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2008:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2007:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


blogs SAPO