12 de Fevereiro de 2007
A Esquizofrenia é hoje uma das doenças mais incapacitantes doenças psiquiátricas que se manifesta pela incapacidade de distinguir o que é real do não real. Geralmente é acompanhada por delírios e alucinações e pode alterar todo o funcionamento social da pessoa.

Numa altura em que se fala imenso de doenças como o Alzheimer, a diabetes ou esclerose múltipla convém informar que a incidência desta doença é superior a todas as anteriores.

Por se tratar de uma doença mental, as suas causas são ainda desconhecidas, porém autoridades na materia atribuem-na a factores como o stress. De um modo geral, os doentes com esquizofrenia podem manifestar vulnerabilidade, dificuldade para processar a informação, incapacidade para prestar atenção, dificuldade para se comportar de modo socialmente aceitável e impossibilidade de enfrentar os problemas. Neste modelo, o stress ambiental, como acontecimentos stressantes da vida ou problemas de abusos de substâncias tóxicas, desencadeia o início e o reaparecimento da esquizofrenia nos indivíduos vulneráveis.

A esquizofrenia começa mais frequentemente entre os 18 e os 25 anos nos homens e entre os 26 e os 45 anos nas mulheres. No entanto, não é raro que comece na infância ou cedo na adolescência. A instalação pode ser súbita, no espaço de dias ou de semanas, ou lenta e insidiosa, ao longo de anos.

Um pequeno número de pessoas com esquizofrenia são incapazes de viver de modo independente, porque têm sintomas de irresponsabilidade grave ou porque não possuem as destrezas necessárias para viver na comunidade. Estas pessoas necessitam de uma atenção continuada num ambiente seguro com apoio.

É, como tal, fundamental o papel dos enfermeiros e restantes profissionais de saúde que tenham um papel activo quer na detecção, quer no tratamento precoce deste tipo de patologias.

Urge na sociedade a criação de pontos de suporte para a vida extremamente stressante. Estes pontos não precisam de ser necessariamente instituições de saúde, mas locais que se tornam aliviadores de factores como a ansiedade que perturbam a normal vida quotidiana.

Termino com o alerta que em vez de discriminar a doença mental é necessário apoiar estas pessoas e facilitar a sua integração na sociedade.
Logo, a noite nos Estaleiros Culturais da Velha-a-Branca estará em discussão esta temática que contará com a presença do Prof. Zeferino Ribeiro. Mais uma iniciativa interessante da organização Café Scientifique - Braga.

http://www.saude-mental.net/esquizofrenia

http://www.aeape.pt/live/zz_frameset.aspx

http://pt.wikipedia.org/wiki/Esquizofrenia

publicado por Luís Caldas às 17:12

mais sobre mim
pesquisar
 
Fevereiro 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28


arquivos
2011:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2010:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2009:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2008:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2007:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


blogs SAPO