25 de Março de 2008
“Saibam que pude constatar, na experiência da vida que vivi e que me conduziu ás portas da morte, que para que toda a qualidade do trabalho de uma equipa seja destruída, basta uma ruptura comportamental ou gestual na continuidade dos cuidados.

Basta uma “ovelha negra” para que a fragilidade daquele que abandona a vida seja confrontada com a desordem, ou mesmo o desespero repentino.

A quebra do respeito interpessoal anula as melhores competências técnicas e profissionais e priva a pessoa cuidada da possibilidade de verbalizar a sua defesa, pois surgem então as represálias e a perseguição na prestação dos cuidados.

A cada um, peço que se centre nas forças da vida, na mobilização dos recursos vitais, respeitando o indivíduo e a humanidade, para promover os cuidados e promover a vida”
Marie-Françoise Collière, Enfermeira
publicado por Luís Caldas às 02:10

mais sobre mim
pesquisar
 
Março 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
11
14
15

16
17
18
19
20
22

23
24
26
27
29

30
31


arquivos
2011:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2010:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2009:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2008:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2007:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


blogs SAPO